- as imagens das colunas laterais têm quase todas links ..
- nas páginas 'autónomas' (abaixo) vou recolhendo posts recuperados do 'vento 1', acrescentando algo novo ..

05/04/14

cretinices de um rato mentecapto

de S. Dalí
Pois é .. o sr. ministro da educação acha-se muito esperto.. No seu afã de servir as corporações privadas (e ainda estou para descobrir a negociata que suspeito ter havido com esta estória dos exames do Cambridge..) o sr. Nuno Crato mete a pata na poça a torto e a direito e depois não sabe como sair do atoleiro..
Claro que quem se lixa sempre, no meio disto tudo, são os professores.. Professores que bem podiam recusar-se a prestar-se à farsa, diga-se de passagem .. Pois não preferiu o ministério da Educação pagar pela elaboração de uns exames que antes tinha de graça? Na mesma lógica, então que arranje correctores entre o pessoal do Cambridge, digo eu.. E .. os professores de inglês precisam de formação para corrigir as provas? Que atestado de incompetência nos passa, senhor ministro!! 
E pensa o senhor que dentro de uma década é que vai ter "professores qualificados"? Olhe que não, OLHE QUE NÃO!! O senhor e a sua antecessora tudo fizeram para retirar do sistema precisamente os professores mais qualificados, os das licenciaturas de 5 anos - a "geração do 25 de Abril", por falar nisso: os que gozam agora de uma mísera reforma antecipada, mas que optaram por não vergar. Que recusaram o prolongamento das indignidades tantas a que os sujeitam e sujeitaram. Os que bateram com a porta, senhor ministro, são os que, para além de uma sólida formação científica e pedagógica, eram também pessoas críticas, humanistas interventivos, profissionais reivindicativos. Salvo honrosas e raríssimas excepções, saiba o senhor que os que sobraram no sistema - e sobretudo os que aí virão! - são a massa amorfa e conformista, - proletarizada e amansada - que se aceita escrava dos vossos desvarios, dos vossos "podres poderes". Que, carneiros em tudo contrários ao que se esperaria de educadores, tudo farão, tudo cumprirão sem hesitações. Bons profissionais? Bem pode prolongar-lhes os mestrados bem-pagos e diminuir-lhes o tempo de licenciatura .. Os que aí virão mais não serão que bons propagadores da "voz do dono", tristes representantes desse pobre povo português a perpetuar-se no retrato traçado por Guerra Junqueiro: «humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante (...) »

1.
do Público,
5/4/14

Professores de Inglês "voluntários à força" 

para a correcção da prova


Sem candidatos à correcção do teste elaborado pela Universidade de Cambridge, o Ministério da Educação e Ciência está a telefonar aos directores das escolas dizendo-lhes para indicarem professores para aquela actividade, que, de acordo com os diplomas legais, é voluntária.
(...)
A indicação, que está a ser dada por telefone e depois por email, já foi recusada por alguns directores, apurou o PÚBLICO. -- ler mais

2.
do meu amigo Luís Costa,
retirado daqui

PIURSO COM O DISCURSO DE CRATO 

Crato diz que, numa década, vai “ter a geração de professores mais bem qualificada de sempre”. O que é que isto quer dizer? A meu ver… nada. Não teremos já hoje a geração de professores “mais bem qualificada de sempre”? Defina-me o que entende por “qualificada”, senhor ministro.

Todos nós sabemos que Crato é “filho zorro” de Maria de Lurdes Rodrigues. Tem os tiques da mãe, sobretudo no que toca a fazer frases que são palimpsestos de subtis insultos à classe. Ambos gostam muito de alardear a nossa “negligência médica”. Eu até estaria disposto a embarcar na ideia da supercompetência dos professores futuros, se a realidade presente não fosse tão cruel com a minha fé: baixíssimo prestígio social; precariedade crescente; miserável salário; péssimas perspetivas de carreira; desprofissionalização; progressiva imposição do generalismo académico; aumento do número de alunos por professor; aumento da carga horária; alargamento das funções dos professores para áreas que, dantes, estavam a cargo dos contínuos; subtração dolosa do poder e da autoridade dos professores; abandalhamento das escolas públicas, onde grassa a desordem, a indisciplina, o desinteresse, o ruído, o lixo… Enfim, a realidade caminha em sentido inverso, é a antítese do que diz Crato.

Quem será capaz de corresponder àquilo que o nosso ministro profetiza? Os descartáveis: máquinas plásticas de barbear, lenços e guardanapos de papel, palitos dos dentes, pensos higiénicos, fraldas… Não tenho dúvidas de que, apesar de serem já muito bons, ainda serão melhores na próxima década.

1 comentário:

Antonio Cristovao disse...

olhe que o desprestigio social muito têm contribuido os srs professores comas greves constantes, indices de aproveitamento escolar miseraveis e em oposição aos salarios crescentes,manifestações que não ficam atras em des-nivel de "esclarecidos" adeptos de abaixo a troika, chantagem de classe vergonhosa.. isto claro são apenas opinioes de paidealuno que como sabemos alem de ignorante nãoconta para nada.... mas olhe que seria ajuizado pensar um pouco nisso.